Amanirenas, a Rainha Candace

Amanirenas, a Rainha Candace
DousReis Oliveira

A rainha Amanirenas, uma das maiores rainhas africanas que este planeta já viu, mas que infelizmente é pouco mencionada, ensinada e propagada.
A mulher que colocou de joelhos um dos impérios que os brancos mais enaltecem e se orgulham: O império romano.

Senta que lá vem a história:
Kush foi um reino que se estabeleceu na Núbia cerca de 2 mil a.C e hoje seria o atual Sudão. Como nessa época a capital do reino foi transferida para a cidade de Méroe, também ficou conhecido como Reino de Méroe.

Os Kushitas (habitantes de Kush), possuíam uma extensa linhagem de governantes guerreiras. Estas matriarcas quando não figuravam como autoridade principal à frente do reino, exerciam poder na qualidade de co-governantes juntamente de seus maridos ou filhos.

E aqui entra a Rainha Amanirenas.
Em 40 a.C ela governava junto ao Rei Teriteqas (seu marido). Porém ele e seu filho mais velho foram mortos em uma batalha contra os romanos. Nesse momento Amanirenas se viu enquanto única regente do Reino de Kush.
(Nota: Nesta época os romanos já haviam invadido grande parte de Kemet (Egito Antigo) e estava tentando invadir e dominar o Reino de Kush, o imperador Augusto sequestrava e fazia de escravos os homens kushitas, queria roubar todo o ouro e as reservas minerais. Só tinha um problema: a Rainha Amanirenas.)

Para defender o seu povo ela partiu bravamente para o campo de batalha juntamente com seu filho mais novo e 30 mil soldados.

O exército de Amanirenas destruiu fortes, templos romanos e os fizeram recuar. Arrancaram a cabeça de uma estátua de Augusto e levaram para o templo de Méroe. Noite e dia a rainha e seu povo pisavam sobre a cabeça de Augusto simbolizando resistência e vitória.

Ela partiu para outras ofensivas militares, sempre em campo de batalha com o seu exército, em um dos confrontos seu filho mais novo foi morto, e ela foi ferida em um dos olhos. Tanto que ficou conhecida como a rainha de um olho só.

A perda de seu marido, de seus dois filhos e de um olho não fizeram essa mulher preta titubear. Reuniu seu exército novamente e partiu para o ataque. Os romanos tiveram muitas perdas e começaram a ponderar se deviam seguir com a guerra.

A Rainha Amanirenas enviou uma delegação com um presente para negociar com Augusto. O presente eram flechas de ouro com a seguinte mensagem:
“Este é um presente da Candace. Se quiser paz, isso é um símbolo de cordialidade e amizade. Se quiser guerra fique com elas porque você vai precisar.”
(Nota da autoria: chega a arrepiar né? Rainha guerreira africana faz assim.)

A bravura e a determinação da Rainha Amanirenas pesaram na decisão e o imperador Augusto “optou” por um acordo de paz. Todas as exigências dela foram aceitas, e após a guerra dedicou o restante de sua vida reerguendo seu reino e seu povo.

Rainha Amanirenas, a rainha que não cedeu seu reino, que defendeu seu povo até as últimas consequências, a mulher que pisou na cabeça do Imperador Augusto e colocou de joelhos o exército mais temido e sanguinário da época.