Adic aprova projetos que visam a preservação ambiental e o bem-estar em Icoaraci

Adic aprova projetos que visam a preservação ambiental e o bem-estar em Icoaraci
Augusto Cruz

 Ambas iniciativas visam a educação ambiental e geração de renda.

O "Jóia dos Rios" é voltado para reduzir o fluxo de plástico nos canais e rios urbanos da Região Metropolitana de Belém, com foco no Distrito Administrativo de Icoaraci (Daico), na perspectiva de atenuar a poluição na baía do Guajará e no rio Amazonas, por meio da implantação de ecobarreiras - feitas com materiais recicláveis -, que funcionarão em conjunto com a instalação de ecopontos, atrelados à educação ambiental. 

Na perspectiva de tornar essa atividade mais rentável e financeiramente interessante para os catadores, o projeto instalará ecopontos de coleta seletiva nas proximidades das ecobarreiras, assim, em uma mesma viagem, os coletores de materiais recicláveis poderão coletar os materiais tanto da ecobarreira, quanto do ecoponto. O "Jóia dos Rios" conta com a parceiria do Anamã, projeto do Time Enactus da Universidade Federal do Pará (UFPA). 

A Presidente do Time Enactus UFPA, Larissa Peniche, explica que "o núcleo da Enactus na UFPA nasceu em 2014 e de lá para cá desenvolvemos uma série de Projetos. E o Projeto Anamã, em específico, nasceu em 2019, com o objetivo de tentar parar o fluxo de plástico, principalmente, na nossa cidade que é cheia de canais, rio urbanos, repleto de resíduos que promovem tanto a contaminação dos corpos hídricos, quanto da população, alagamentos, dentre outros".

Segundo ela, "a parceria com a Adic, por meio do projeto aprovado, vamos expandir as instalações para mais córregos e aumentar a retirada de resíduos e destinar à reciclagem. Essa parceria, Enactus e Adic é extremamente importante para que projetos como o nosso possam ganhar maior escala e efetivamente trazer mais impacto positivo ao meio ambiente e a longo prazo gerar uma mudança real para sociedade". 

Assoreamento - O "Icoaraci mais verde", por sua vez, nasceu a partir da compreensão que no Distrito de Icoaraci alguns bairros sofrem com os problemas socioambientais, como assoreamento dos rios, relacionado diretamente à problemática dos alagamentos e enchentes de Icoaraci, assim como o descarte irregular dos resíduos sólidos em áreas ociosas nos bairros da região distrital. 

Por conta disso, o projeto objetiva informar a comunidade sobre as problemáticas socioambientais, ajudar com ações que visem a educação ambiental e plantação de mudas para a proteção das margens dos recursos hídricos no distrito. Além de transformar pontos onde hoje são locais de descarte irregular de lixo em grandes viveiros de mudas e espaços de convivência com a natureza, os chamados canteiros ecológicos. O diferencial, segundo os idealizadores é a inclusão das pessoas que estão cumprindo pena ou medida alternativa na execução de algumas ações. 

O coordenador de ambos projetos, o engenheiro civil Derick Cordovil de Castro, informa que a engenharia de manutenção de qualquer cidade, elaborar, aprovar, captar recursos e implementar projetos ambientais, em geral significa atuar diretamente no combate e tratamento dado aos temas de resíduos sólidos, como o descarte irregular de lixo nas vias urbanas ou nos canais e pequenos córregos. "Essas ações de projetos ambientais impactam diretamente no orçamento da limpeza urbana e de canais, pois qualquer atividade positiva dos projetos acaba resultando em economia de dinheiro do orçamento gasto pela Prefeitura e, com essa economia, pode-se usar esses recursos para conseguir resolver outras problemáticas de manutenção da cidade que precisam de orçamento".
        
Lucas Branches, idealizador e também coordenador dos projetos, afirma que o impacto positivo afeta não somente na melhoria visual da área afetada, mas em tudo que está no seu entorno, "principalmente ao que se refere em qualidade de vida, diminuição de riscos de contaminação do solo, dos dos corpos hídricos e do lençol freático, encerro do odor e, claro, o impacto visual se uma área que sofreu por anos com o descarte irregular próximo a sua residência". 

De acordo com a Agente Distrital de Icoaraci, Ellana Silva, os projetos, já em desenvolvimento em Icoaraci, foram pensados a partir da necessidade de ter uma Icoaraci mais limpa, considerando os muitos problemas de descarte irregular. Segundo ela, um dos objetivos é envolver a comunidade que está recebendo os projetos, que atuará como agente fiscalizadora. "Que consigamos, por meio deles, projetos, a educação ambiental para um bem viver na nossa Vila Sorriso".
Texto:Danilo Lima