Solenidade de Nossa Senhora Aparecida

Solenidade de Nossa Senhora Aparecida
DuReis Oliveira

Solenidade de Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil

Círio de N. Sra de Nazaré – “Maria, Mãe da Igreja”.

Por que honramos a Santíssima Virgem Maria com tão grande festa e devoção de uma parte a outra deste nosso imenso Brasil? Por que desse título tão sublime “Mãe da Igreja”?

1º - Porque Deus, “a fim de preparar para Seu Filho mãe que fosse digna dele, preservou a Virgem Maria da mancha do pecado original, enriquecendo-a com a plenitude de Sua graça” (pref. Maria e a Igreja)_, “Deus juntou todas às águas e deu o nome de mar; junto todas as graças e deu o nome de Maria”. Foi ornada de todas as graças e virtudes para colaborar mais estreitamente com o plano da salvação, para gerar na fé, e posteriormente na carne, a Jesus Cristo, Filho unigênito de Deus Pai, fundamento e fundador da Igreja. Ao gerar na carne Jesus Cristo, gerava aquele que é a cabeça da Igreja. “Maria não tem sentido em si mesma, se não incorporada por sua vocação ao mistério messiânico de seu Filho” (Carlos I. González).

2º - Porque “Nela, Deus, nos deu a primícias da Igreja, esposa de Cristo, sem ruga e sem mancha, resplandecente de beleza” (pref. Maria e a Igreja). Em Maria, toda imaculada e santa, a Igreja contempla o tipo de pessoa que o Pai teve em mente ao criar o ser humano e ao instituir a Igreja. E nela se descobre o futuro escatológico que o Senhor lhe havia destinado. É a primeira redimida, a primeira a alcançar os frutos da redenção de seu Filho, é a “Mulher vestida com o sol”, resplandecente da beleza e da glória que Deus reserva para os que creem e seguem o Cristo.

3º - Porque “Puríssima, na verdade, devia ser a Virgem que nos daria o Salvador, o Cordeiro sem mancha, que tira nossos pecados” (Pref. Maria e a Igreja) _ “Sendo Maria um ser humano pleno, por Ela Jesus se insere na humanidade e pode salvar-nos” (Santo Atanásio, Carta a Epíteto, 7). A fé de Maria é tão verdadeira que o Logos se encarnou. Maria é antes que Eva no plano da salvação. A Virgem Maria a semelhança de Eva, fora criada sem pecado; mas diferente de Eva, percorre o caminho da obediência, desatando o nó que Eva, pelo pecado, fizera. Mãe da Igreja, Mãe dos viventes!

4º - Porque “Escolhida entre todas as mulheres, modelo de santidade e advogada nossa, ela intervém constantemente em favor de vosso povo”. Podemos e devemos recolher ao auxílio de tão bela e bondosa Senhora, porque, mediante a sua fé contribuiu com a Nova Aliança, por meio de sua maternidade, dando a carne ao Verbo Divino, e desde modo cooperando com o nascimento da Igreja. É o modelo mais excelente da Igreja; a primeira entre aqueles que, servindo a Cristo também nos outros, conduzem seus irmãos, com humildade e paciência, Àquele Rei, a quem servir é reinar” (LG 36).

Maria, Mãe da Igreja, reúne seus filhos provenientes de vários cantos de nosso Estado, e de outras partes do Brasil, entrelaçando-os na corda da fé, onde são estreitados no amor mais puro de uma mãe. São dias intensos de romarias e homenagens que devotamente se oferecem a Nossa Senhora, banhados de lágrimas e trazendo as marcas da súplica e do agradecimento por uma graça já alcançada, ou na esperança de obter tão grande favor da Mãe de Deus.

Verdadeiramente, a Virgem e Senhora de Nazaré, nos obtém, por ser Mãe da Igreja, favores que sozinhos seríamos incapazes de alcançar.

Irmãos e irmãs, como membros e filhos da Amada Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, sejamos dóceis em aprender de Maria a fazer a vontade de Seu Filho, pois é nela que está contido o fruto da nossa fé: “Fazei tudo o que Ele vos disser!”. Ela que ouvindo a voz do anjo, submeteu-se inteiramente a vontade divina, seja nossa Mãe e mestra na escola da obediência a Cristo, pois só assim, veremos a abundância das graças, como acontecera em Caná da Galileia.

Publicidade